Adestramento de Cães

 

Por que é importante adestrar um cão?0003

Quando adestramos um cão estamos na verdade ensinando-o a obedecer, fazendo com que ele associe a obediência a uma recompensa. Da mesma forma fazemos com que ele associe a desobediência com algo negativo.

Além de estimular o cão a obedecer, o adestramento também nos ensina como mostrar ao cão quais os comportamentos que gostamos, e que, portanto, queremos manter, e quais nós não aprovamos, e queremos eliminar.

Desta forma, quando temos um cão adestrado temos um cão comportado, agradável.

 

Com que idade devemos começar adestrar um filhote?z1hncffm

Quanto mais cedo começamos a adestrar um filhote, mais fácil será o seu aprendizado. Portanto, a melhor época para se começar um adestramento é quando o filhote já tiver tomado todas as vacinas e tiver sido liberado para sair na rua.

Se o proprietário quiser começar o adestramento antes disso, o adestramento deve ser feito dentro de casa, pois o filhote não estará devidamente imunizado para sair às ruas, podendo pegar várias doenças perigosas.

 

Existe uma idade limite para um cão aprender?

Da mesma forma que um humano, um cão também passa por fases de desenvolvimento e amadurecimento até tornar-se adulto. O ideal é que se comece um adestramento antes da adolescência dos cães, que nas raças pequenas e médias começa aos 12 meses, e nas raças maiores começa dos 14 aos 18 meses. Quanto maior a raça, mais tarde ele se tornará adulto.

Quanto mais maduro o filhote, menos suscetível ele estará em aceitar a liderança do proprietário, pois já terá desenvolvido uma série de vícios de comportamento, e, principalmente, uma forma de relacionamento com seu dono. Justamente esse vícios são os mais difíceis de corrigir, pois são vícios tanto do cão como do dono.

Portanto, quanto mais velho for o cão quando começamos um adestramento maior deve ser a intensidade e a freqüência do treinamento, porque neste caso temos que “correr contra o tempo”.

 

O cão adestrado obedecerá qualquer pessoa, inclusive um estranho?

O cão adestrado só obedece a um membro que ele aceite como sendo seu líder. Ele obedece ao adestrador por este ter desenvolvido previamente com o cão uma relação de liderança e confiança.

Mesmo se uma pessoa conhecida der um comando, o cão pode não obedecer por não considerar tal pessoa como seu líder, e por conseqüência, não ser merecedora de obediência.

A obediência deste cão está ligada a um sentido de lealdade, e a um reflexo condicionado

 

Devemos adestrá-lo em outra língua?

Esta é uma crença antiga: que deveríamos adestrar um cão de guarda numa língua estrangeira, para que o ladrão não pudesse dar ordens ao cão. A reposta da pergunta anterior já responde a questão.

É impossível negar, porém, que certas línguas como o inglês têm palavras mais próprias ao adestramento por serem mais curtas. São monossílabos de sons bem distintos e, portanto, mais fáceis do cão captar. Então ao invés de “senta”, teríamos “sit”; ao invés de “deita” “down”; no lugar de “fica” “stay”, etc.

 

Meu cão vai perder a espontaneidade sendo adestrado?

Não! O cão adestrado não é um robô programado. É simplesmente um cão que sabe entender o que o dono quer dele. Isto porque ele foi treinado a saber o que significava cada palavra, e foi recompensado quando soube o que fazer ao receber um comando. Sabe também que tipo de comportamento seu dono gosta, ou não, dele. Tudo isso foi desenvolvido durante o adestramento. O cão adestrado é igual a qualquer outro cão: gosta de brincar, de correr a trás de uma bolinha, de fazer carinho no dono… Enfim, igual a qualquer outro.

 

Quanto tempo leva o adestramento? 

Cada cão tem um tempo diferente de aprendizado, assim como cada dono também. Como se pode ver, não é fácil se estabelecer um tempo fixo para que este processo se desenvolva. Vamos dizer que no mínimo 8 meses.

 

 

Meu cão pode obedecer só ao adestrador

Pode, se você não souber tornar-se o líder da matilha da sua casa. Por isso é tão importante que o adestrador ensine ao dono como liderar seu cão. E por isso, também, é tão importante que o proprietário do cão assuma realmente o papel de líder.

 

É preciso usar força bruta para educarmos um cão

Há algumas décadas atrás se acreditava que a melhor forma de se educar um cão era através do tranco, do medo. Hoje se sabe que trabalhar com estímulos positivos, isto é recompensando o cão sempre que ele acerta, tem resultados bem melhores, pois incentiva o cão a trabalhar como se tudo fosse uma grande brincadeira.

 

Qual o objetivo principal do adestramento? 

Um adestramento bem feito fará com que o cão e seu proprietário tenham a melhor relação possível.

Como se faz isso? Fazendo com que eles “falem a mesma língua”. Para isso precisarmos ensinar o cão a obedecer comandos. Da mesma forma precisamos ensinar o proprietário como seu cão entende o mundo, como ser líder de seu cão, como dar comandos, e como recompensa-lo.

Todo cão tem que ser adestrado?

Um cão não nasce sabendo como se comportar. Cabe a nós educá-lo mostrando o que ele deve (ou não) fazer; como ele deve (ou não) se comportar. É aí que entra o adestramento: ajudando a educar o cão.

É comum o pensamento de que adestramento é só para cães grandes, e que os de raças pequenas ou médias estariam isentos deste aprendizado por não serem considerados perigosos. No entanto sabemos que o adestramento não é feito unicamente para controlar um cão feroz. O adestramento é feito para educarmos um cão nos mais variados aspectos, que pode ser ensiná-lo a não pular nas visitas, ou mesmo ensinando-o a não ir para a rua só porque o portão está aberto.


Como escolher um adestrador?

Ao conversar com o “candidato” a adestrador do seu cão, pergunte sobre que tipo de métodos ele usa para ensinar o cão. Dê sempre preferência aos adestradores que trabalhem com reforço positivo. Mesmo esses precisam de uma grande atenção: muitos adestradores (mesmo que trabalhando com reforço positivo) trabalham dando trancos no cão para que ele aprenda. É comum que eles dêem um tranco no enforcador para cima, para fazer o cão sentar. Assim que o cão se senta, o adestrador pára de puxar a guia. Ou seja: o cão aprende que enquanto ele não se sentar, vai sentir dor. O cão atende ao comando com medo da dor. Por mais que este adestrador dê petiscos para esse cão, ainda estamos trabalhando com reforço negativo, pois o que gera a obediência é o medo da dor. Este tipo de adestrador é muito comum. E o que é mais complicado disso tudo, é que ele diz que trabalha com reforço positivo porque ele realmente acredita nisso. Ele não é um enganador, é só uma pessoa usando métodos muito ultrapassados.

O ideal é que você possa ver o adestrador trabalhando para ver como ele trabalha. Só assim você poderá avaliar como ele irá tratar o seu cão.


O que é importante exigir do adestrador?

Faz parte do trabalho de qualquer adestrador fazer com que você saiba ser líder de seu cão. Fazer aulas junto com ele pode ajudar bastante a este aprendizado. Outra coisa importante é que ele faça a socialização de seu cão com outros cães e pessoas estranhas. É importante ter um cão que fique seguro frente a outros cães, e a pessoas desconhecidas.

Peça ao seu adestrador que ele te dê notícias constantes sobre o progresso, ou não, de seu cão durante o adestramento; do comportamento dele; enfim, que ele preste contas sobre o andamento do processo de educação de seu filhote.

 

É possível um cão tornar-se agressivo ou rebelde por causa do adestramento?

O normal é o adestrador estabelecer uma boa relação com o cão, incentivando-o a obedecer. O cão encara o adestramento como uma brincadeira em que ele “joga” para merecer a recompensa.

Este tipo de reação adversa, como agressividade e rebeldia, não são comuns, a não ser que o cão esteja sofrendo maus tratos na mão do adestrador, ou que este esteja estimulando o comportamento agressivo do cão, de forma leviana.


Como saber se um cão está sendo mal tratado num adestramento?

Não é tão fácil perceber estas coisas. Muitas vezes o cão não dá muitos sinais do que está acontecendo, e não é raro que, apesar de apanhar, o cão goste bastante do adestrador.

No entanto alguns cães maltratados mostram seu descontentamento fugindo do adestramento. Isto é: assim que sentem o cheiro do adestrador, eles somem, se escondendo pela casa.

Existem raças que não aprendem?

Não! O que existe é a maneira certa ou errada de abordar um cão. Cada raça, assim como cada cão, têm formas diferentes de serem motivadas ao adestramento. Certos cães são capazes de trabalhar apenas para receber um agrado; outros fazem qualquer coisa por uma bolinha; outros ainda por um biscoito. Enfim: nem sempre conseguimos identificar o que motiva um cão. E um cão desmotivado paralisa o processo de aprendizagem.

Nada mais frustrante para um adestrador do que um cão difícil de ser motivado! Você se sente absolutamente inútil. Assim, muitas vezes é mais fácil falarmos que a raça x ou y é burra.

 

É verdade que não se deve dar uma ordem a um cão usando o nome dele?

Não. A não ser que você só chame seu cão pelo nome para dar bronca. Mas o normal é que a gente use o nome do cão “para o bem e para o mal”. A gente tanto usa o nome dele para dar bronca, como também para dar comida, ou para sair para passear. Portanto, isto também é mais uma antiga crença que deve ser esquecida.
 

É possível ensinar qualquer cão a fazer guarda?

Existem algumas raças que foram desenvolvidas especificamente para a função de guarda como, por exemplo, o pastor alemão, o rottweiler etc. Estes cães exercem essa função quase naturalmente, por puro instinto. Nestes casos, o adestramento tem a função de lapidar este instinto, para que ele faça uma guarda mais eficiente.

Por outro lado, outras raças foram desenvolvidas para outras finalidades como, por exemplo, o labrador, o weimaraner, ou o golden, que foram desenvolvidos para a caça. Eles não possuem temperamento adequado, nem instinto, para a função de cão guarda. Portanto, um adestramento de guarda nestes cães seria trabalho e dinheiro jogados fora.

Fonte: Maíce Costa Carvalho, adestradora

maice@dogtimes.com.brhttp://www.dogtimes.com.br/faq-adestra.htm

Anúncios