Região Metropolitana de Campinas fecha o cerco contra o abandono

ANIMAIS DOMÉSTICOS

RMC fecha o cerco contra o abandono

Seis cidades possuem programa de cadastramento com microchip e Parlamento discute projeto autorizativo
SARAH BRITO – REGIÃO

Arquivo | TodoDia Imagem
10cidades3a.jpg
Cachorro abandonado em Americana em 2008 foi identificado pelo chip

A RMC (Região Metropolitana de Campinas) está fechando o cerco contra os maus-tratos e abandono de animais. Das 19 cidades da região, seis já possuem programa de cadastramento de animais por microchip. O sistema permite que os donos dos animais sejam identificados e, em caso de problemas com o animal, localizado e, se for o caso, punido.

Campinas, Americana, Santa Bárbara d’Oeste, Vinhedo, Sumaré e Hortolândia já possuem a lei de cadastramento e, em Nova Odessa, um projeto de lei com o mesmo intuito foi protocolado na semana passada. As iniciativas, no entanto, devem se expandir cada vez mais, já que o Parlamento Metropolitano da RMC discute projeto autorizativo para sugerir a implantação de uma campanha de microchipagem de cães e gatos para todas as 19 cidades que compõem a RMC.

Uma vez instalado sob a pele, na nuca do animal, o microchip fornece um número exclusivo sempre que passa pela leitora. Ao ser detectado, esse dígito, único e inalterável, vai para o cadastro do Centro de Zonooses e para o banco de dados da Abrachip (Associação Brasileira do Microchip Animal).

EXEMPLO

A implantação do microchip é indolor e feita pela nuca do animal (leia texto abaixo). Em Nova Odessa, o projeto de lei, de autoria do vereador por Ângelo Roberto Réstio, o Nenê Réstio (PSD), tem como objetivo coibir os abandonos e maus-tratos por meio do cadastro de todos os animais de estimação do município na Divisão de Controle de Zoonoses.

Caso aprovado, o dono deverá registrar o animal em até 180 dias e quando houver transferência, o novo dono deverá comparecer ao Centro de Zoonoses para atualizar os dados cadastrais. Os óbitos também devem ser comunicados ao setor responsável.

“O objetivo é moralizar a área. As pessoas não podem adotar animais e depois abandóna-los ou maltratá-los. Queremos chamar a responsabilidade de todos os proprietários de animais da cidade. Com o cadastro, teremos então a ferramenta para identificá-los em casos de abandono e maus-tratos dos bichos”, disse o vereador. Se o projeto for sancionado, em caso de descumprimento de prazo após intimação do Setor de Zoonoses para o registro e implantação do microchip, a multa é de R$ 184.

ESTIMATIVA

Segundo a prefeitura, a estimativa é que, dos aproximadamente 10 mil animais domésticos existentes em Nova Odessa, quatro mil já foram castrados durante campanhas e cerca de dois mil vivem nas ruas. O projeto de lei foi aprovado em discussão única e será sancionado pela prefeitura em até 15 dias. Não há data definida para a sanção.

Para a analista de comércio exterior Aline Oliveira, 31, o programa é importante pois cria um laço de responsabilidade entre o dono e o animal. “O cadastro possibilita, em caso de fuga, reencontrá-lo. Isso já é um ganho”, disse.

Fonte:

http://portal.tododia.uol.com.br/?TodoDia=cidades&Materia=736795

Anúncios
Sem categoria