Especialista ensina a socorrer animal durante reação alérgica por ingestão do chocolate

27 de março de 2012 às 11:40

(da Redação)

Foto: s/c

Quem resiste a um pedaço de chocolate vegano, principalmente durante a Páscoa? O problema é que muitas vezes essa tentação chega aos nossos amigos animais, ou seja, seus tutores não resistem e de pedacinho em pedacinho não sabem o mal que estão causando a saúde de seu animal.

O chocolate possuiu uma substância chamada teobromina que é tóxica para cães, essa substância está presente em diferentes concentrações dependendo do tipo de chocolate. O chocolate amargo e meio amargo são os que possuem a maior concentração.

“A teobromina é nociva para o sistema nervoso central causando alterações neurológicas, outra questão importante são as alterações hepáticas que ocorrem em decorrência do excesso de gordura presente nesses alimentos. Então mesmo chocolates com baixos teores de teobromina são tóxicos para o fígado”, revela a Dra Elaine Pessuto, diretora clínica e coordenadora do curso de Auxiliar Veterinário do CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia.

Vale lembrar que embora não tenha teobromina em sua composição, o chocolate branco possui alta concentração de gordura que faz muito mal a médio e longo prazo para os animais. A ingestão do chocolate branco também pode levar a uma gastroenterite aguda.

Reações alérgicas como diarréias, vômitos e hiperatividade são comuns em cães e gatos que consumiram chocolate, conforme explica a dra. Elaine. “Os animais podem apresentar, dependendo da concentração da teobromina presente no chocolate e do volume ingerido, reações neurológicas sérias, como convulsões, ataxias, incoordenação, nistagmo (alteração do movimento dos olhos) e até coma”, explica.

Ao perceber qualquer mudança no comportamento do animalzinho que consumiu chocolate é necessário levá-lo imediatamente ao veterinário mais próximo. O médico irá conduzir o atendimento de acordo com a sintomatologia, ou seja, se o animal estiver apresentando sinais gastroentéricos ele irá tratar com soro e medicamentos protetores, caso o animal esteja com sinais neurológicos ele irá tratar e provavelmente manter o animal em observação.

“Quando vemos um animal ingerindo um alimento tóxico podemos enquanto corremos até o veterinário mais próximo induzir o vômito. Para isso é importante que o animal esteja consciente e podemos fazer com que ele beba uma dose de salmora morna (misture uma quantidade de sal na água até ele começar a decantar, ou seja, descer ) , ela o fará vomitar o que acabou de ingerir, diminuindo a absorção. Essa medida não exclui JAMAIS a ida ao veterinário”, orienta a dra. Elaine.

Muitas vezes os tutores oferecem um pedaço de chocolate, pois alegam que o animal está com vontade só de vê-lo comer, ou ainda usam a desculpa que é Páscoa, então apenas nesta época pode, o que é muito errado. “Simplesmente ao ceder aos ‘olhares pidões’ do animalzinho o tutor estará causando distúrbios e doenças em seus animais. Além de fazê-los sofrer, tais atitudes interferem em sua qualidade de vida, podendo inclusive abreviar a sua vida”, enfatiza a dra. Elaine.

Serviço:
Dra Elaine Pessuto, diretora clínica e coordenadora do curso de Auxiliar Veterinário
CETAC – Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária
Eua Castro Alves, nº 284 – Aclimação – Tel.: 11 2305-8666
www.cetacvet.com.br

FONTE: http://www.anda.jor.br/

Anúncios
Sem categoria