Briga de cães: o que fazer?

Imagem inline 1

A Ana Rayssa me escreveu com um problema que na verdade já foi tratado aqui no blog, mas mesmo assim achei interessante pedir mais uma opinião profissional sobre o tema, então pedi à Sara Favinha, da Tudo de Cão, que o comentasse.

Ana, tudo bem? Eu estou com um problema sério aqui em casa… eu tenho atualmente em casa, 7 cachorros, desses 7 tenho 4 machos e 3 fêmeas. Por causa de um abacate que caiu do pé, dois deles que eram super amigos, o Tuco (não castrado) e o Nino, já castrado, se pegaram pra valer, eu não estava em casa, mas se minha Mãe não tivesse pedido ajuda de um vizinho, os dois iriam morrer. e hoje, aconteceu de novo… eu fico triste com isso, porque os dois eram super amigos e agora nem podem mais se ver Os dois estão super feridos, principalmente o Nino, que por ser gordo e pesado, leva a pior, mas não deixa de provocar o Tuco, que é inteiro e é mais leve e ágil. O Tuco tem 5 anos e o Nino tem 4. Nunca brigaram. Mas o Nino sempre rosnou pro Tuco. O Tuco é o maior de todos, é o líder e não aceita desaforo de outros cachorros da casa. de nenhum. Porque os dois mudaram de comportamento?

A resposta da Sara: Provavelmente seus dois cães que brigaram já vinham mostrando sinais há um tempo, e no momento da disputa pelo abacate isso veio à tona de forma mais violenta.Muitas vezes os sinais (o rosnado é um deles, porém muito mais “explícito”) podem ser quase impercetíveis para quem não está acostumado a lê-los.

A castração do Tuco é altamente recomendada, mas em casos de agressividade é importante o acompanhamento de um profissional capacitado para avisar à família quais as situações que devem ser evitadas e fazer um trabalho consistente de associações positivas de um cão com o outro. Essas brigas tendem a aumentar, podendo diminuir ou cessar com a castração do Tuco. Porém para ter certeza eu necessitaria vê-los interagindo e acompanhar as evoluções após a castração. Não é aconselhável o uso de qualquer tipo de punição quando os dois estão se estranhando, pois isso intensifica a associação negativa de um com o outro.O mais indicado no momento é fazer um manejo com eles de tal forma a evitar que essas brigas possam acontecer (separá-los em momentos que podem haver disputas e colocá-los juntos em ambientes mais controlados) e ao mesmo tempo fazer atividades prazerosas, como passeios, idas ao parque etc. com eles juntos. Evite brincadeiras de bolinha ou qualquer uma que provoque disputas.

Abraços e boa sorte!Sara Favinha

Zootecnista e Adestradora Comportamentalista

www.tudodecao.com.br / blog.tudodecao.com.br

Fonte: http://www.maedecachorro.com.br

Sobre brigas de cães, leia também:

Anúncios
Sem categoria