Seu cachorro come cocô?

Postado dia 29/02/2012 por Mãe de Cachorro – Ana Corina

33

Post inicialmente publicado em 10/1/11.

Antes de repassar o material que achei na web a respeito do hábito que alguns cães têm de comer as próprias fezes, a coprofagia, alguns comentários pessoais sobre o tema:

  • Quando estava ensinando o Sushi a “usar o banheiro”, elogiava muito todas as vezes em que ele acertava o jornal. Com isso, ele passou a achar que seu cocô era uma espécie de prêmio e começou a trazê-lo todo feliz quando alguma visita estava em casa no momento em que ele defecava. Para parar com o hábito, simplesmente passei a não mais elogiá-lo quando usava o jornal direitinho, até porque a esta altura ele já estava fera.Veja se não é o mesmo caso com o seu cãozinho;
  • Uma vez me ensinaram a servir sementinhas de mostarda na comida do peludo porque elas dariam um cheiro e um gosto desagradável às fezes;
  • Cada vez mais me apaixono pelo Neem e seus vários usos. Como o Estibion Plus Neem é o único produto natural que conheço que tem fácil aplicação (basta polvilhar por cima da comida) e ainda por cima melhora a saúde em geral dos pets, não canso de recomendá-lo.Um de seus benefícios é combater a coprofagia;
  • Atualização em 30/1/11 –> Super dica da Sylvia Angélico, publicada no Twitter do Cachorro Verde:Seu cão tem hábito de comer fezes? Experimente adicionar um pouco de abacaxi às refeições dele. Isso deixa as fezes com gosto desagradável. Frutas cítricas não são contra-indicadas para cães sadios. O suco gástrico dos cães tem pH de 1 a 1.5 – MUITO mais ácido que o de qualquer fruta. Muitos cães gostam de abacaxi fresco. Nesses casos, é só acrescentar uma ou duas colheres de sopa de abacaxi fresco à dieta – tanto faz se é caseira ou comercial (ração). Se o cão não comer, aí é hora de exercitar o jogo de cintura, rs Abacaxi com um pouco de iogurte, ou com um pouco de mel etc. Essa dica não é garantida, mas muitas pessoas têm relatado sucesso.”;
  • Atualização em 31/1/11 –>Leiam o comentário deixado pela Andie porque ela nos dá uma boa dica de adestramento e compartilha uma informação bastante relevante sobre coprofagia.
  • Atualização em 25/7/11 –> Dica deixada em comentário no blog (jerimum é a abóbora mais tradicional, aquela redonda):

zabaiugah disse…Tenho 2 Shih Tzus, Beethoven e Indy, atualmente, perdi minha filhota peluda Camilla, mãe de Beethoven, no dia 16 de Dezembro de 2010, meu Beethoven teve coprofagia, e aqui em casa cruamos rapidinho, cozinhávamos Jerimum e eles adoram e deixam rapidinho de comer o cocô.

Mas voltando ao ato de comer fezes, o assunto não é simples e a coprofagia pode ter várias causas. Voltando ao exemplo do Sushi, o oposto também pode ocorrer: um cão que seja duramente repreendido ou até mesmo castigado fisicamente ao errar o local onde deveria defecar pode passar a comer as fezes para “limpar” sua sujeira!

Como todos sabem, defendo e incentivo o uso da Alimentação Natural para cães e gatos, e animais alimentados com carnes e ossos crus dificilmente apresentam o problema de comer as próprias fezes. Citando um post muito interessante do Cachorro Verde, lemos que:

“Dietas compostas por uma grande porção de grãos deixam as fezes grandes e fedidas. E tantos resíduos de grãos e amidos acabam atraindo outros cães – e muitas vezes até próprio autor do cocô! A textura mais macia dessas fezes, além de seduzir o paladar (ugh…), não esvazia periodicamente as glândulas ad-anais – aquelas que o cão espreme involuntariamente quando está com medo e que liberam um cheiro monstruoso. Sem o esvaziamento natural proprocionado pela eliminação de fezes durinhas, essas glândulas podem inflamar.” [extraído do post Cocô na Alimentação Natural]

E que dietas são compostas por uma grande porção de grãos? Rações! E também dietas caseiras cozidas desbalanceadas e restos de comida humana servidos a cães/gatos. Lembrando que só pode ser chamada de alimentação natural aquela que em sua composição contém carnes e ossos crus, tão essenciais para fezes sadias e com consistência adequada o suficiente para não provocar os problemas mencionados na citação acima.

No blog Tem Cachorro na Cozinha, achei uma receita caseira e fácil de ser feita, bem interessante e que pode ajudar na questão e a Nara fala especificamente sobre a coprofagia em sua introdução:

“Um hábito canino que geralmente incomoda os donos é “comer cocô”, ou coprofagia. Segundo o etólogo Bruno Tausz, na sua comunidade no orkut, Psicologia Canina, há a possibilidade deste hábito existir por falta de nutrientes vegetais na dieta do cão. Ainda na sua comunidade, podemos encontrar uma receita de cozido que auxilia no combate a este hábito.” [extraído do post Cubos congelados de legumes (Solução natural anti-coprofagia)]

Separei para vocês alguns textos que tratam do assunto mais profundamente e recomendo que todos sejam lidos para um melhor entendimento deste hábito, que pode muitas vezes ser um problema de saúde e/ou de carência nutricional.

Fonte: http://www.maedecachorro.com.br/2012/02/seu-cachorro-come-coco.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+MaeDeCachorro+%28M%C3%A3e+de+Cachorro+Tamb%C3%A9m+%C3%A9+M%C3%A3e%21%29

Anúncios
Sem categoria