Educação vem de casa

Pag%2007%20foto17%2001-12-2011.jpg

Nas aulas em grupo os donos aprendem truques simples para educar seus cães. O adestramento é feito através do método de recompensa. / Divulgação

Criança mal educada desagrada não só quem está à volta, mas também os próprios pais que, quase sempre, são os culpados pelos comportamentos indesejados. O mesmo ocorre com os cães. Muitos donos esquecem de colocar limites enquanto o bichinho é filhote e depois querem que o animal “advinhe” o que a família espera dele. Outros esquecem de conviver com o cachorro que, acaba se comportando mal nos poucos momentos que tem com os membros da casa, seja pela euforia ou justamente pela falta de educação. O adestramento, especialmente aquele em que o próprio dono treina o animal, é uma importante ferramenta para garantir uma convivência saudável e harmoniosa entre o cão e a família, evitando frustrações e até mesmo o abandono.

Esse é o objetivo do curso em que a psicóloga especialista em comportamento animal, Christiana Bonorino, ensina o dono a educar seu cachorro de estimação. As aulas semanais incluem os comandos básicos, como “senta”, “deita”, “morre” e “junto”, e são feitas em grupos de 10 pessoas com seus respectivos cães. “Utilizamos o método de recompensa, em que o animal recebe um petisco quando obedece. Além disso, o exemplo dos que estão ao lado facilita o aprendizado, já que a tendência é que eles imitem uns aos outros”, explica a profissional.

O curso tem duração total de quatro semanas e os donos devem praticar em casa com os peludos. Segundo a especialista, o ideal é que os ensinamentos comecem a ser transmitidos antes dos quatro meses de idade, quando o filhote ainda não tem vícios. “Mudar um hábito é mais difícil do que implantar um comportamento sadio. No entanto, qualquer cão pode ser ensinado, mesmo já adulto”, diz Christiana.

Para a psicóloga, este tipo de adestramento, no qual o dono participa integralmente, atinge não só o objetivo principal, que é o de educar, como também torna os laços entre o indivíduo e o animal mais fortes. “Muita gente não conhece de verdade seu bicho de estimação, o que acaba acontecendo através desta aproximação. Os donos ficam mais orgulhosos e querem mostrar para todos o que o cachorro sabe fazer e, assim, o levam mais para passear, entre outras atividades”, afirma a especialista.

As aulas duram cerca de 40 minutos e podem ser frequentadas por cães de qualquer raça ou idade, desde que não sejam agressivos. A profissional, que conta com a ajuda de mais um especialista, ensina truques simples para que os donos conquistem a atenção e tenham o controle do cachorro. “Nunca tive um caso em que o cão não aprendesse”, garante Christiana, ressaltando que um animal bem educado é benefício para toda a família e evita, inclusive, que os donos desistam do companheiro por conta dos problemas de convivência. “Assim eles têm uma relação tranquila, o que reduz até o risco de abandono, já que, ao contrário de um filho, que quando apresenta alguma alteração de comportamento recebe tratamento, os animais muitas vezes são descartados”, lamenta a psicóloga.

Quem se interessou pelo serviço pode procurar ou obter mais informações na Mr. Bicho Chic, que fica no Shopping Estação Itaipava, na Estrada União e Indústria, nº 11.000, loja 103 A. Os telefones para contato são o (21) 9984-5057 e (21) 7839-7205.

FERNANDA SOARES
Redação Tribunahttp://www.e-tribuna.com.br/2012/index.php?option=com_content&view=article&id=25874&catid=42

Anúncios

As vantagens de ter um animal em casa

Postado 29/10/2011 em Bem-Estar e Saúde

Ter um animalzinho em casa exige alguns cuidados. Mas o trabalho é pequeno se comparado aos benefícios que eles trazem para a gente. Cerca de 33 milhões de brasileiros que são tutores de cães e 17 milhões que têm gatos já descobriram isso. Se você ainda não tem um animal para chamar de seu, saiba que nunca é tarde para adotar.

Ter um animal em casa ajuda a lidar com fatos importantes da vida

Confira algumas vantagens:

· No contato diário, crianças e animais aprendem a controlar impulsos, entre eles a agressividade.

· Ter um cão ou um gato ajuda a lidar com fatos da vida, como nascimento, reprodução e morte, além de reforçar a autoestima.

· Para pessoas tímidas, os animais são um bom treino para se comunicar melhor.

· Ter um cão ou gato antes de completar 1 ano de idade reduz pela metade o risco de uma criança desenvolver alergias.

Os benefícios de ter um animal à saúde

Economia com médicos e remédios

Tutores de cães e gatos vão menos ao médico, garantem os pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Inglaterra. E precisam tomar menos remédios, segundo um estudo australiano. Quando ficam doentes, os donos de cães ainda saem do hospital, em média, dois dias antes que os demais.

Coração blindado

Em pesquisa em Nova York, corretores da Bolsa de Valores foram submetidos a situações de estresse e só os que tinham um animal apresentaram taxas normais de pressão arterial. É que a sensação de responsabilidade e companheirismo diminui o nervosismo e dilata os vasos sanguíneos.

Um estudo de 1980 já apontava isso: durante um ano, a doutora Erika Friedmann acompanhou 92 homens e mulheres hospitalizados por ataques cardíacos. Ela constatou que 11 dos 39 pacientes sem bichos morreram, enquanto apenas 3 dos 53 tutores de cães e gatos tiveram o mesmo fim.

Amizades multiplicadas

Passear com um cachorro facilita aproximações. Segundo uma pesquisa, pessoas que saem com seu cão acabam fazendo mais amizades do que as que costumam caminhar desacompanhadas.

Sensação de bem-estar

Outro estudo americano, dessa vez realizado com 240 casais, revelou que a presença de um animal em casa deixa as tarefas do dia a dia muito mais agradáveis, aliviando nossa pressão cotidiana. Segundo o veterinário Johannes Odedaal, essa interação libera endorfina, dopamina e outros hormônios que reduzem a ansiedade, além de relaxar o corpo.

“Hormônio do Amor”

Mulheres que adotam um cão ou gato filhote passam a produzir mais ocitocina, segundo revela um grupo de cientistas japoneses. Conhecida como hormônio do amor, essa substância é responsável pela alegria quando a mãe dá à luz o bebê e quando o amamenta. Pesquisa realizada nos Estados Unidos comprovou ainda que casais que têm bichos brigam menos do que aqueles que não têm um animal.

Adeus, depressão!

A companhia de um cão evita o isolamento de pessoas com idade entre 65 e 78 anos, afastando a depressão, segundo um estudo na Inglaterra. E os benefícios não param por aí: os idosos tutores de cães e gatos também se tornam mais ativos e sociáveis, garantem cientistas norte-americanos

Fonte: ANDA / Abril

Dono de cão enterrado vivo é encontrado e se explica

thumbG.php?imagem=dono_tita.jpg

O caso do cachorro de quatro meses que foi enterrado vivo na cidade de Novo Horizonte (interior de São Paulo) na semana passada causou comoção e revolta em todo o Brasil.
Mas o dono do animal, um aposentado de 59 anos (que está doente), se defende, dizendo que pensou que o bichinho já estivesse morto.

– Eu fui lá. Ele estava deitado lá dentro. Eu mexia, mexia com ele, e então falei: ‘está morto’. Peguei bastante galho de mandioca e quebrei e joguei em cima.

O cãozinho, que recebeu o nome de Titã, se recupera bem. Ele passou para uma transfusão de sangue, procedimento adotado para tratar uma grave anemia.

No entanto, o filhote ainda precisa de cuidados e continua em tratamento em uma clínica veterinária local. Toma remédio para controlar uma infecção na pele e está com uma úlcera na córnea.

A veterinária responsável por tratar de Titã está esperançosa e acredita que, daqui para frente, o bicho só tende a melhorar.

Fonte: R7http://entretenimento.r7.com/bichos/noticias/dono-de-cao-enterrado-vivo-se-explica-20111213.html?question=0