Ativistas se unem para pedir o fim da matança de cães e gatos em países asiáticos

Posted: 22 Nov 2011 04:32 AM PST

Por Patrícia Tai (da Redação da ANDA) | Dezenas de milhões de animais são assassinados na China a cada ano. As peles de animais estão em alta demanda, e os chineses entregam. E o que não é exportado para fora da China, geralmente acaba em um prato.

Mais triste ainda é que os animais sofrem torturas horrendas. Eles são capturados nas ruas, e enjaulados em dezenas em gaiolas pequenas, sem capacidade de se mover. Eles são, então, jogados como objetos inanimados dos caminhões, no chão, batendo-se entre si e nas jaulas de aço. Essas gaiolas são posteriormente empilhadas, e o pesadelo real começa. O animal é brutalmente puxado para fora da gaiola, e amarrado, para evitar resistência. É levemente atordoado por um golpe na cabeça, mas ainda permanece vivo. Se o animal não é pesado, o trabalhador o suspende pelas patas traseiras e bate sua cabeça contra o chão.

Uma vez que o animal é subjugado, começa uma nova e incompreensível etapa neste pesadelo. O trabalhador faz um pequeno corte na parte traseira do animal, e depois metodicamente descasca a pele. Esse processo de esfola leva cerca de um minuto, durante o qual o trabalhador ativamente mantém o animal vivo, pois acredita-se que seja mais fácil tirar a pele do animal enquanto ele ainda está quente e com o sangue fluindo através de suas veias. O pesadelo não acaba aqui.

A última etapa deste horror inacreditável é quando o animal é jogado de lado e, lentamente, em meio a um amontoado de seus amigos morrendo, perece, uma vez que não é mais capaz de suportar a dor. Em outros casos, quando a pele do animal não é necessária (principalmente com os gatos), os animais são colocados em um saco, e depois são cozidos vivos em um barril de água fervente.

FONTE

pi
pi

pi
pi

GxcSIkdqQIQ?utm_source=feedburner&utm_medium=email

Anúncios
Sem categoria