Dúvida do leitor: Meu cachorro caça galinhas e outros animais, e agora?

Posted: 14 Nov 2011 04:33 PM PST

A Ana Rayssa mandou a dúvida abaixo via Facebook e corri a pedir uma resposta pra Sara Favinha, da equipe Tudo de Cão, porque tenho um caçadorzinho terrível em casa (Mr. Shoyo!), sei bem como é este problema e tenho certeza de que a resposta da Sara ajudará outras pessoas e animais. Boa leitura!

“Oi Ana, tudo bem? Eu to preceisando de uma ajudinha sua….Eu preciso entender o que está acontecendo com meu cachorro… vc sabe me dizer o que faz um cachorro matar galinhas? Eu tô tendo esse problema com o meu… a gente sempre morou na cidade, tem 5 meses que a gente tá morando em uma chácara e agora ele deu pra entrar no terreno do vizinho e matar as galinhas :S isso me preocupa muito… ele não come a galinha, só mata… igual quando mata rato… no terreno desse mesmo vizinho tem um teiú que há alguns dias atrás entrou aqui no terreno daqui de casa, ele enfrentou o teiú, botou ele pra correr e o bicho saiu correndo, fugiu, sumiu, mas o tal do teiú mora no terreno do vizinho… será que isso pode estar influenciando o comportamento assassino com relação às galinhas? Não sei o que eu faço pra tirar esse comportamento dele… ele nunca foi assim… outro dia ele abateu uma paca que aparece aqui em casa… eu fico preocupada porque essa região onde moro costuma aparecer tamanduá… dái já viu, né? Abração!!!!”

EXCLUSIVO: Todo comportamento apresentado pelos animais (ou pelas pessoas) só ocorre por que é recompensado em algum momento. Apesar da domesticação dos cães, alguns deles apresentam ainda o instinto de caça bastante aflorado.

No caso de border collies, que possuem instinto de pastoreio, vê-se que esse instinto foi trabalhado ao ponto de o animal controlar o rebanho, mas não matar a presa e ainda levá-la caminhando até seu condutor.
com cães que têm o instinto de caça mais aflorado, é comum matarem a presa e trazê-la para nós, mas em muitos casos não chegam a comê-la. Cães que caçam não necessariamente estão com fome. A perseguição da presa é algo muito estimulante para os sentidos de um cão e aflora aquilo que ele tem de mais primitivo, o instinto de caça que está ligado à sobrevivência.

Para canalizar este comportamento é necessário que você controle ou a presa ou o cão. Dificilmente conseguimos controlar uma presa, principalmente porque a maioria delas são selvagens e entram no “modo fuga” quando percebem que estão em perigo.

No caso de cães que perseguem pombas ou outros animais na cidade, utilizamos o contra-condicionamento onde vamos para um local próximo às pombas, mas que não desperte o instinto de caça do cão de forma muito intensa ou seja, ele ainda consegue prestar atenção em nós. Trabalhamos o foco intensamente e quando o cão responde bem vamos diminuindo a distância até conseguir andar ao lado das pombas com o cão focado. Esse trabalho é realizado com guia para segurança do cão (e das pombas) porém nós NUNCA utilizamos trancos na guia como forma de correção.

Para o trabalho sem guia utilizamos o comando Chair Stay e o Fica, sendo trabalhados de forma que, no Chair Stay, o cão não saia de cima do banco de praça, cadeira ou qualquer superfície em que o colocamos, sem o comando de liberação OK, mesmo com pombas voando ao redor. Trabalhamos também o comando Fica em movimento, de forma que quando o cão ouve, paralisa. Vamos aumentando os estímulos conforme estamos nos aproximando das pombas até que o cão responda prontamente mesmo muito próximo à elas. Em todos esses casos de treinamento que citei, fazemos um Plano de Treino e vamos evoluindo de forma gradual, somente quando o cão acerta o passo anterior, ou seja, trabalhamos buscando os acertos e minimizando ao máximo a possibilidade de erros.

Todos esses treinos são feitos com a presença do dono, o cão responde à comandos previamente condicionados. Quando um cão está solto sozinho ou longe dos donos, ele tem chances de ser recompensado e muitas vezes as pessoas nem ficam sabendo. Ou seja, a cada vez que acontece a perseguição, captura ou morte da presa, o comportamento é intensificado.

No seu caso acho difícil você conseguir controlar as presas, mesmo sendo galinhas (a não ser que elas ficassem presas o dia todo em um galinheiro), por isso sugiro que você torne seu ambiente à prova de escape, subindo muros e concretando a base de alambrados se for o caso, para evitar escavações.

Costumo dizer que depois que o cão caça o primeiro animal, o instinto de caça aflora e quanto mais animais ele tem a oportunidade de caçar, mais vai aprimorando as técnicas de caça, assim como acontece com os aimais de vida livre.

Mesmo uma coleira de choque (equipamento que não faz parte de metodologia que utilizo e que não recomendo) não resolveria seu problema, pois a punição precisa ser aplicada sempre que o comportamento ocorre e você relatou que seu cão caça longe da sua presença.

Torne seu local à prova de fugas e você pode resolver boa parte do problema. Isso também pode evitar que animais grandes como os teiús consigam entrar em sua propriedade, porém não impede a entrada de gambás, saguis e aves.

Abraços!

Sara Favinha
http://www.tudodecao.com.br

MaeDeCachorro?d=yIl2AUoC8zA MaeDeCachorro?d=YwkR-u9nhCs MaeDeCachorro?d=qj6IDK7rITs
eZdrYADwIog?utm_source=feedburner&utm_medium=email

http://www.maedecachorro.com.br/2011/11/dvida-do-leitor-meu-cachorro-caa-galinhas-e-outros-animais-e-agora/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+MaeDeCachorro+%28M%C3%A3e+de+Cachorro+Tamb%C3%A9m+%C3%A9+M%C3%A3e%21%29

You are subscribed to email updates from Mãe de Cachorro
Anúncios
Sem categoria