Promotor colhe denúncia de ativistas no caso dos beagles

Promotor colhe denúncia de ativistas no caso dos beagles

No último dia 17, o juiz Siladelfo Rodrigues da Silva, da 5ª Vara Cível de Maringá, concedeu liminar proibindo qualquer novo experimento com cães no Biotério Central da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Para ativistas, não é o suficiente. No início da tarde de ontem (21), o segundo manifesto em duas semanas cobrou novamente a libertação dos cães.

Foto de um cão submetido aos experimentos (Fonte: MP)

Após o manifesto, defensores dos animais – entre eles a professora da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Ângela Lamas, que fez a primeira denúncia de maus tratos aos beagles no biotério da UEM – se dirigiram à Promotoria do Meio Ambiente. O promotor Lafaieti colheu a denúncia verbalde que os cães que estariam em pior estado teriam sido eutanasiados recentemente.

Segundo a ONG Anjos dos Animais, há atualmente 7 beagles e 3 cães sem raça no canil do biotério. Contudo, na ação do MP são mencionados 14 cães, sendo 10 beagles e 4 sem raça.“Aqueles cães eram a prova de que havia maus tratos aos beagles da UEM”, diz Flávio Mantovani, um dos ativistas que pede a liberação dos cães.

Diálogo

Ontem, a pedido dos ativistas, Lafaieti entrou em contado com o reitor da UEM, Júlio Santiago Prates Filho, que teria se comprometido a adotar todos os cuidados com os animais. O reitor também ouviu apelos de liberação dos cães – pedido que já aguarda decisão judicial –, mas antecipou ao promotor que se reunirá com os pesquisares na próxima segunda-feira, para ver o que pode ser feito. À imprensa, a UEM informa que só se posicionará a respeito após ser notificada formalmente.

http://www.odiario.com/blogs/cafecomjornalista/2011/10/21/promotor-colhe-denuncia-de-ativistas-no-caso-dos-beagles/

Anúncios
Sem categoria