Cuidado com o que seu cachorro come

É comum chegarem a clínica animais que comeram ossos, chinelos, palitos, fios de linha, sacolas plásticas, agulhas, calcinhas, camisinhas, e muitos outros objetos que ficam presos em algum ponto do seu trato digestivo.

Muitos animais precisam fazer cirurgia para retirar o conteúdo que se encontra amontoado em seu estômago ou encarcerado numa alça intestinal. Os corpos lineares (linhas ou tirinha de tecido) podem ficar presos por uma ponta (como um anzol) e se alongar por vários metros do intestino do animal. Os movimentos peristálticos (normais do intestino e que empurram o alimento) acabam fazendo uma pressão que fere a mucosa intestinal podendo levar a ruptura.

Ossos de galinha quando mordidos se quebram formando pontas afiadas que facilmente perfuram a mucosa do trato digestivo. Qualquer palito ou haste de metal ou madeira também pode provocar uma ruptura.

A foto acima é de um pequeno cotonete que matou um poodle. Antes do animal vir a óbito ele sofreu muito devido as muitas infecções e feridas na cavidade abdominal, onde se observou inúmeras aderências à necropsia.

Depois que a mucosa é perfurada as consequências são graves e muitos desses animais acabam vindo a óbito.

A foto abaixo é da necrópsia de um animal que morreu depois de ter comido osso de galinha. O osso perfurou o seu esôfago e deixou o animal agonizando por mais de 24 horas.

(Foto: Patologia Veterinária)

Alimentação

Muitas pessoas dão comida caseira aos seus cães, pensando na economia e na relação afetiva que têm com os seus animais. Estudos comprovam que a comida caseira acaba sendo até 100% mais cara se levarmos em consideração o tempo gasto para a preparação, e ainda a dificuldade de se equilibrar corretamente as doses de ingredientes necessárias para uma saúde perfeita dos animais.

Consequentemente, muitos problemas de pele e de estômago dos animais acabam por aparecer devido a uso de temperos não aconselhados da alimentação humana ou de excesso de deteminados ingredientes.

Lembre-se: carinho e afeto não são suficientes para uma saúde perfeita.

Hoje, o mercado de rações oferece ao consumidor uma variedade enorme de produtos, desde aqueles que se vendem nos Supermercados até ás rações dos veterinários e pet shops, que variam de acordo com a qualidade das matérias-primas envolvidas em sua fabricação. Consequentemente, o preço também vai variar. A ração pode ser na forma de alimentos úmidos ou seca.

A grande vantagem das rações é a certeza de, ao escolher uma marca de boa qualidade, estar a fornecer ao seu animal todos os elementos essenciais à manutenção de uma boa qualidade de vida e do bem estar do animal, pois estes elementos estarão equilibrados e apresentados de uma forma na qual serão facilmente absorvidos pelo seu animal.

Filhotes

Devem ser alimentados de 3 a 5 vezes ao dia, em pequenas quantidades, com rações próprias , que são aquelas com alto teor de energia metabolizável e um maior nível proteico. Devem ser dadas até os 12 meses de vida.

Adultos

Podem ser alimentados 1 a 3 vezes ao dia,.

Fêmeas gestantes e em lactação

Devido ao desgaste e à necessidade de alimentar sua ninhada a ração oferecida deve ter um alto teor de energia, podendo ser substituída pela ração de filhote.

Deixar ração à vontade ou estabelecer horários para alimentação é uma decisão que deve ser tomada de acordo com a rotina da família. Como dar comida 3 vezes ao dia se todos trabalham fora?

Se optar por deixar ração à vontade, deve tomar alguns cuidados: Só deixe ração seca, pois a úmida poderá fermentar, causando problemas ao seu cão.

Não deixe a taça com ração muito próximo do taça com água , pois alguns cães costumam brincar com a água e isso poderá molhar a ração, também provocando a fermentação. Por outro lado, ao serem estabelecidos horários para refeição, terá um animal mais condicionado e sobre o qual terá um controle maior de sua alimentação.

Evite dar petiscos durante o dia, pois eles poderão tirar o apetite de seu cão. Os petiscos não têm qualidade para substituir uma refeição à base de ração

Alimentar um cão é fácil e prático. Basta que siga as orientações do seu veterinário e escolha a maneira que melhor se adequa à sua rotina de vida.

Lembre-se: ele depende de si para conseguir alimentar-se corretamente.

É importante que os cães tenham uma alimentação satisfatória e balanceada. A dieta deve ser direcionada a atender suas necessidades. Quando oferecemos comida aos cães, não estamos ajudando para que ele tenha uma nutrição satisfatória. Para o cão a ração é a melhor aliada para uma alimentação rica em nutrientes. Confira neste guia algumas dicas sobre a alimentação adequada para cada cão.

Filhotes

Filhotes

Os cães filhotes devem iniciar a alimentação a partir do 45º dia de vida. Ração para filhotes certamente é a melhor opção. Existem muitos tipos (secas, semi-úmidas ou úmidas), sabores e marcas no mercado.

Caso o Filhote rejeite a ração, insista, não ofereça alimentos como arroz, feijão que viciam o animal que acaba desistindo de vez da ração.

Os filhotes comem 3 a 4 vezes ao dia quando pequenos, e passam a comer menos à medida que vão crescendo. Assim, reduza o número de refeições gradativamente.

Cães Adultos

Cães a partir de um ano de idade já são considerados adultos. Ração para cães adultos: seca, úmida ou semi-úmida, 2 vezes ao dia.

O cão adulto come 2 vezes ao dia. O excesso de alimentação causará obesidade e inúmeros problemas ao animal. Evite oferecer restos de comida e doces mesmo que o cão goste ou queira comer.

O cão que “pede” comida da mesa dos donos deve ser repreendido ou retirado do local das refeições familiares, mudanças alimentares devem ser feitas gradativamente ou o animal poderá apresentar diarréia.

Cães de raças grandes devem ser alimentados 2 vezes ao dia quando adultos. Isto evita que ele coma grandes quantidades de alimento de uma vez e venha a ter uma torção do estômago (o estômago poderá se dilatar e girar sobre o seu eixo, o alimento ficará retido e o cão não conseguirá esvaziar o estômago).

Cadelas gestantes devem comer rações de filhote a partir do 30º dia até o fim da lactação. Esta prática reduz a chance de ocorrerem problemas futuros com a cadela prenhe, além de aumentar sua vida reprodutiva.

Cães Idosos

Os cães começam a envelhecer a partir dos 7 anos de idade, e tem uma expectativa de vida de em média 12 a 15 anos. Alguns animais podem viver muito mais chegando até aos 20 anos, um dos fatos que aumentam a expectativa de vida do cão são os cuidados que ele receberá quando começar a envelhecer.

Os cães idosos devem se alimentar de ração sênior (própria para idosos) que é rica em nutrientes. É recomendável levar o cão ao veterinário, pois talvez seja necessário fazer uma reposição de vitaminas, e também para prevenir doenças ou diagnosticá-las a tempo do animal receber o tratamento adequado. Isso certamente prolongará a vida do cão.

Cálcio e Vitaminas

Filhotes que não receberam uma alimentação balanceada necessitam de reposição de cálcio e vitaminas no primeiro ano de vida. A falta de cálcio nessa fase causará o raquitismo. Cães que se alimentam exclusivamente de ração balanceada, de boa qualidade, podem ter as necessidades de cálcio supridas, devido à boa alimentação. Consulte sempre o veterinário para saber o tipo de alimentação e a reposição de cálcio e vitaminas que o animal necessita.

Considerações finais

É muito importante manter alimentação de animal equilibrada para contribuir na maior expectativa de vida do mesmo. Todas as dicas acima são de caráter informativo, não dispensando assim a orientação de um veterinário.

Fonte: Portal Veterinária e http://wilsonveterinario.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1098:cuidado-com-o-que-seu-cachorro-come&catid=6:noticias&Itemid=10

Anúncios
Sem categoria