Dono de cadela paraplégica no Ceará desenvolve cadeira de rodas adaptada

Publicado em 11/08/2011

Dono de cadela paraplégica no Ceará desenvolve cadeira de rodas adaptada

Fonte: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2011/08/11/dono-de-cadela-paraplegica-no-ceara-desenvolve-cadeira-de-rodas-adaptada.jhtm

Na cidade do Crato, que fica a 504 km de Fortaleza, um latido empolgado nas ruas vem chamando a atenção. O som é da cadela Paquita, de aproximadamente 12 anos, que recebeu um presente do dono, José Turíbio Meireles, 60: uma cadeira de rodas adaptada.

As patas traseiras de Paquita tiveram paralisia após o animal ser atropelado por uma moto há cerca de seis anos. Desde então, ela se arrastava para poder se deslocar. José Turíbio, serralheiro e dono de um estacionamento, levou a cachorra em vários veterinários da região. "Eles diziam que era melhor sacrificar, que ela não ia mais conseguir andar. E eu disse: pois doutor, eu lhe provo como ela anda", relembra.

O serralheiro desenvolveu então um equipamento semelhante a uma cadeira de rodas, no qual Paquita fica com as patas traseiras suspensas. As rodas fazem com que o animal não se arraste mais pelas ruas.

A história de Paquita já era de superação. Ela foi encontrada por Alessandro, filho de José Turíbio, em uma lata de lixo. Anos depois, caiu de uma escada, de uma altura de mais de cinco metros, mas não sofreu nenhum arranhão. Em seguida, a cadela passou por uma gravidez de risco, mas sobreviveu. Após o atropelamento sofreu também com uma infecção urinária.

"Se dizem que gato tem sete vidas, a cadela Paquita tem, pelo menos, cinco", conta, aos risos, José Turíbio. "E a animação dela me impressiona. Nem parece ter essa idade toda."

Alessandro lembra que a cachorrinha também faz a segurança da família, já que avisa sobre a aproximação de estranhos no estacionamento. "Ela é muito inquieta, não quer ficar parada. É uma bênção nas nossas vidas", finaliza.

Instituto Nina Rosa – Projetos por amor à vida
Organização independente sem fins lucrativos
http://www.institutoninarosa.org.br

Anúncios

Crianças: Animais de estimação previnem alergias

Crianças: Animais de estimação previnem alergias

Crianças: Animais de estimação previnem alergias As crianças que convivem com animais
de estimação são menos propensas a
desenvolver alergias aos animais, segundo
um estudo publicado por uma equipa de
investigadores da Clinical and Experimental Alergy.

Os investigadores reuniram os dados clínicos,
incluindo o historial de alergias, de 566 crianças
e dos seus pais que estiveram expostos à presença
de animais domésticos.

Quando completaram 18 anos, os cientistas
analisaram amostras de sangue e os
anticorpos presentes no sistema imunológico
que lutam contra alergias de cães e gatos.

As crianças que cresceram em lares com gatos
tinham menos 48 por cento de probabilidades
de contraírem alergias. Em relação aos cães,
as crianças do sexo masculino que crescem
perto do amigo mais fiel do homem, têm menos
50 por cento de probabilidades de contraírem alergias.

Este número não se verifica para as meninas.
Segundo suspeitam, as meninas não desenvolvem
a mesma imunidade que os rapazes porque
interagem de forma diferente com os cães.
A cientista Ganesa Wegienka, uma das
investigadoras, referiu que "se o sistema
imunológico estiver ocupado com exposições
nos primeiros tempos, fica programado
contra as alergias aos animais de estimação.

Embora não tenham a total certeza, os
cientistas suspeitam que a exposição precoce
a alergénios e bactérias relacionadas a animais
domésticos fortalece o sistema imunológico.
O corpo acaba por se habituar aos alergénios
o que ajuda a criança a construir uma imunidade
natural.